a Ferver
Empresa lança vinho inspirado em Renato Seabra
Amigo do homicida de Carlos Castro guarda primeiras garrafas para quando o modelo sair da prisão.
  • Partilhe
12/01/2018 15H21
Foto: DR
Renato Seabra, preso numa prisão de alta segurança nos EUA depois de ter sido condenado pela morte de Carlos Castro, tem um vinho dedicado a ele.

A empresa Silva Salgado Vinhos, uma empresa familiar onde trabalha o melhor amigo do modelo, Diogo Costa, é a responsável pela produção do ‘Galifão’, dedicado pelo amigo a Renato Seabra.

Diogo, de 28 anos (a mesma idade de Renato Seabra), é amigo de infância do homicida e cresceram juntos, tendo até frequentado os escuteiros ao mesmo tempo.

Diogo acredita que Renato sofreu "um surto psicótico" quando, há sete anos, matou o cronista social Carlos Castro, castrando-o e mutilando o corpo em seguida com recurso a um saca-rolhas.

"Ele não é um assassino, apesar do que fez. Foi uma coisa que aconteceu naquele momento e devido a algo muito grave que se terá passado", afirma Diogo costa ao site Flash!. "É heterossexual e não é um psicopata" O nome do vinho, ‘Galifão’, deriva desta expressão, que era muito utilizada por Renato Seabra que, segundo o amigo, não era homossexual, apesar de ser apontado como mantendo uma relação amorosa com Carlos Castro antes do crime. "Lancei um vinho, cujo nome é ‘Galifão’, uma expressão muito usada pelo meu melhor amigo [Renato Seabra]. ‘Galifão’ contraria tudo o que as pessoas julgam dele", explica Diogo à Flash!, afirmando que "ele é heterossexual".

O amigo descreve ainda Renato Seabra como "uma pessoa muito emocional" e garante que "não é um psicopata". Visitou Renato Seabra na prisão Diogo não deixou de estar ao lado do amigo aquando do seu encarceramento. Visitou-o na Clinton Correctional Facility, uma prisão de alta segurança junto à fronteira com o Canadá, descrita como ‘a Sibéria dos EUA’, pelo menos duas vezes. No entanto, atualmente Renato Seabra recebe cada vez menos visitas, incluindo da família. A mãe, Odília Pereirinha, já só visita o filho de três em três meses, depois de ter regressado a Portugal, tendo anteriormente vivido algum tempo nos EUA para poder acompanhar mais de perto Renato Seabra.

Guarda garrafas da primeira colheita para Renato

O vinho ‘Galifão’, em versão tinto e branco, já está à venda, mas há garrafas ‘especiais’ que Diogo Costa guardou para que o amigo possa provar. Vinho 'Galifão' Foto Direitos Reservados Como o vinho e o nome foram inspirados em Renato Seabra, o melhor amigo do modelo reservou as garrafas da primeira colheita para que o homicida, quando sair da prisão as possa beber.
"As primeiras garrafas produzidas, que eu próprio rotulei, encontram-se guardadas à espera que ele volte [a Portugal] e as prove. Foi uma promessa que fiz a mim mesmo", explica Diogo que aguarda pela saída de Renato Seabra da prisão "daqui a 18 anos".
O amigo lamenta que Renato Seabra nunca tenha provado o vinho que inspirou, já que as garrafas não podem entrara no estabelecimento prisional onde o modelo está preso.

Ler mais tarde
A notícia foi guardada na sua lista de notícias favoritas. Faça a gestão dessa área na sua conta.
Partilhe
0
Comente
0
OPINIÃO
  • Improváveis da semana
    Patrick Watson chamou a palco Ana Moura e juntos recordaram Lhasa de Sela.
    Querido Tio Marcelo
    Não há memória de um presidente com esta forma simples de abordar a vida.
  • Não há nada para celebrar!
    De efemérides Pedro Abrunhosa não quer nem ouvir falar.
    Vida
    A melancolia está presente como uma nuvem que percorre o disco.
  • A vida de um ‘gajo’ porreiro
    Futebol... É mesmo um gajo porreiro este António Zambujo, ‘porreiro’ em todo o sentido lato do termo.
    Uma decisão histórica
    Justiça... Numa altura em que muitas das ligações entre artistas e editoras eram fixadas através dos chamados ...
  • Doçura
    Robyn segue uma visão pessoal num mundo nivelado pelo gosto comum.
    Política
    Neneh Cherry nem quer ouvir falar do actual presidente americano.
horóscopo
EM DESTAQUE
SAGITÁRIO
23 NOVEMBRO - 21 DEZEMBRO
OUTROS SIGNOS
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina