“Espero que não seja adiado”: António Costa sobre casamento da filha em outubro

Primeiro-ministro quer levar Catarina ao altar. Líder do PS deixou de visitar a mãe, que integra grupo de risco.
António Costa e a filha, Catarina
António Costa e a filha, Catarina
Foto: Direitos Reservados
11 abr 2020 • 01:30
André Filipe Oliveira

António Costa descarta, para já, mudança de planos no casamento da filha, Catarina, agendado para outubro. "Espero que não haja perturbações, que não seja adiado", disse em conversa com Manuel Luís Goucha.

O primeiro-ministro revelou ainda que não fez o despiste ao novo coronavírus: "Ainda não fiz nenhum teste. Não tenho sintomas e não tenho estado em contacto com pessoas de risco." Cortou, aliás, o contacto com a progenitora, Maria Antónia Palla. "Deixei de visitar a minha mãe, que está no grupo de risco. Ela está a cumprir todas as regras", acrescentou.

Em relação ao futuro, o líder do Partido Socialista descartou a definição de uma meta para o regresso à normalidade. "Ainda não vejo a luz. Quanto mais disciplinados formos agora, mas rápido chegamos ao fim."

Previu, ainda, o alargamento do estado de emergência. "Seria um sinal errado para o País retirá-lo. Ainda não podemos aliviar, temos de nos focar." Costa apelou também à consciencialização dos portugueses nesta época. "Vivam esta Páscoa com o espírito de sempre. A melhor forma de estarmos juntos é estarmos afastados."

Primeiro ministro deu a novidade aos jornalistas no dia das eleições.

 

Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo